Como será o juiz na televisão

Charanga Domingueira • 30/04/2018 09:19:45

Já começo duvidando que a Board obtenha êxito no desejo de que cada procedimento do árbitro de vídeo na próxima Copa dure no máximo um minuto. Mas, tomara que dê certo. A Fifa vem de definir como será o trabalho do VAR, sigla da arbitragem eletrônica na próxima Copa. Por sinal que a CBF (Confederação Brasileira de Futebol) vai usar o sistema nos jogos das quartas de final da Copa do Brasil. Já adianto que a Globo não cederá sua imagem. E faz muito bem. Se for marcado um pênalti duvidoso contra o Corinthians e o VAR confirmá-lo quem levará a culpa? A Globo, claro! Para o trabalho na Rússia a Fifa já espremeu o máximo que podia e recomendará aos árbitros que a consulta ao monitor que ficará na lateral do campo só seja executada em ocasiões especialíssimas. Essa consulta torna-se necessária por serem inúmeras decisões dependentes da interpretação do apitador de campo. Também será restrita a consulta ao VAR apenas nos seguintes casos: Incidentes punidos com cartão vermelho direto; confusão de identidade de jogadores; gols e incidentes que levam a um gol; falta cometida por um atacante; interferência de jogador em posição de impedimento; posição de impedimento de quem faz um gol; bola fora de jogo em lance que vai redundar em um gol; falta que leva a pênalti; falta de um atacante antes de um pênalti; falta dentro ou fora da área; bola que saiu do campo antes da marcação de um pênalti e posição de impedimento antes da ação de um pênalti. Convenhamos: é pouca coisa para obrigar a paralisação do jogo. Um bom juiz tirará de letra e sozinho. Aliás, o árbitro poderá atrasar o reinício de uma partida quando estiver em contato com o VAR. Bastará colocar a mão na posição do ouvido direito. Para avisar que quer a consulta fará um retângulo com os braços e parará o jogo. A equipe do VAR trabalhará numa central em Moscou com 33 câmeras sendo 2 exclusivas para a linha de impedimento. Depois da ação os telões do estádio transmitirão o lance para o público. Ah, outra coisa: a equipe do VAR será dividida em três grupos e, além do principal, que falará com o juiz de campo, as outras duas serão assistentes do primeiro e assistente do assistente. As 33 câmeras estarão assim divididas: 17 para a transmissão geral; oito câmeras lentas; seis câmeras ultralentas; duas ultra HD e duas para o impedimento. Todas as imagens virão por fibra ótica e a Board, já disse, acredita que cada paralisação durará no máximo um minuto. Duvideodó!!!. Sou radicalmente contra arbitragem robotizada. Por ser um jogo de humanos os árbitros deveriam ter não apenas a capacidade para bem dirigi-lo, mas também o direito de errar. De qualquer maneira esperemos torcendo para que dê certo.    

Flávio Araújo, Jornalista e radialista prudentino escreve aos domingos neste espaço.

Estilo do Site
  • Luz
  • Alto Contraste