A virose chegou por aí?

Papai Educa • 23/04/2018 10:52:20

Procure um médico assim que os sintomas das viroses aparecerem. Foto: Arquivo Pessoal

Presidente Prudente registra surto de viroses, que se arrasta desde as duas últimas semanas. Hospitais públicos e particulares, bem como consultórios médicos acolheram diversos casos, que acometeram pessoas das mais variadas idades, sobretudo crianças. Como não são ocorrências de notificação compulsória, muitos estabelecimentos não dispõem de números. Febre, náusea, vômito, diarreia, dores no corpo e nas articulações são alguns dos sintomas dos casos que envolvem o sistema gastrointestinal. Já o respiratório, inclui-se coriza, tosse, obstrução nasal, coceira no nariz e olhos e outros. Lá em casa ninguém escapou das infecções nos últimos dias.

 

Típico da estação

O outono é propício a estes surtos de doenças, em função de sua inversão térmica, com manhãs e noites mais frias e tardes mais quentes. Estas mudanças climáticas associadas à baixa umidade relativa do ar favorecem a proliferação de vírus. É preciso lembrar ainda que, com o clima ameno, as pessoas tendem a permanecer mais tempo em ambientes fechados e sem circulação de ar. Resfriados, gripe, rinite, amigdalite e sinusite compõem o quadro de enfermidades respiratórias comuns nesta época.

 

Orientação médica

As recomendações dos pediatras são procurar atendimento médico assim que a associação de sintomas aparecer. Hidratar-se, lavar as mãos constantemente, usar álcool em gel, evitar aglomerações e ambientes escolares, manter limpa e arejada a residência e, aos alérgicos, retirar cortinas, tapetes e bichos de pelúcia do quarto, para evitar o acúmulo de pó. O uso de umidificadores, para melhorar a qualidade do ar, também é indicado. Não se automedique, nem oferte medicamento sem prescrição médica.

 

“Nojo” para comida

Para manter uma boa saúde, é preciso cuidar também da alimentação, mas você já ouviu falar em seletividade alimentar? Para a nutricionista Ariane Bomgosto, ajudar a criança que é seletiva na hora de comer é indispensável. Segundo ela, muitas, ao serem perguntadas sobre as suas emoções ao pensarem em determinados alimentos, respondem palavras como "nojo", "feio", "gosmento", "mole". “São, na verdade, indícios para as emoções que sentem e associam ao alimento. “Percebo que, muitas vezes, as crianças falam rapidamente estes sentimentos e demonstram vontade de mudar de assunto ou sair daquela situação. Isso porque elas se incomodam de uma tal maneira que é difícil para elas lidar com aquele momento”, fala.

 

Encarar o prato

Ariane orienta que, para crianças seletivas, é importante que sejam incentivadas a permanecerem em contato com o que sentem nesta hora. Os pais podem, então, insistir para que a criança elabore melhor o que está resumindo em uma palavra como "nojo". Por exemplo, a esta criança pode ser dito que ela pode permanecer naquela situação e entrar em contato com o seu sentimento por um tempo maior e que isso não precisa assustá-la. Aos poucos, a criança irá aprendendo a se apropriar das suas emoções e a lidar com aquele sentimento de maneira mais segura, encarando o que sente. Leia mais sobre este assunto no blog Papai Educa.

 

Vacina contra gripe

Começa nesta segunda-feira, dia 23, a 20ª Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza. A mobilização segue até 1º de junho, sendo o sábado, 12 de maio, o Dia de Mobilização Nacional. O grupo prioritário da campanha são pessoas a partir de 60 anos, crianças de seis meses aos menores de cinco anos, trabalhadores de saúde, professores das redes pública e privada, povos indígenas, gestantes, puérperas (até 45 dias após o parto), pessoas privadas de liberdade – o que inclui adolescentes e jovens de 12 a 21 anos em medidas socioeducativas - e os funcionários do sistema prisional. Os portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais também devem se vacinar.

 

Dicas de leitura

AS SEMANAS MÁGICAS

“As semanas mágicas. Como estimular as semanas de desenvolvimento mais importantes nos primeiros 20 meses do seu bebê e transformar essas dez fases extraordinárias e difíceis em saltos mágicos" descreve em termos de fácil compreensão as incríveis mudanças de desenvolvimento e períodos de regressão que todos os bebês passam durante os primeiros 20 meses de suas vidas. A edição descreve saltos do desenvolvimento e oferece orientação para atravessar as fases e tirar maior proveito de cada uma delas. Leia mais em www.assemanasmagicas.com e o projeto original em www.thewonderweeks.com.

 

Autor: Hetty van de Rijt

Editora: KW Publishing

Páginas: 480

Preço: R$ 52,77 (Amazon)

 

A FORÇA DA VIDA

Para algumas crianças, a realidade de muitas famílias brasileiras de baixa renda ainda é desconhecida. A precariedade de moradia e alimentação, a falta de assistência médica e social, a dificuldade de uma mãe em chefiar sozinha um lar com filhos pequenos são exemplos de questões que precisam ser abordadas desde cedo, para que os pequenos desenvolvam um senso crítico em relação à essas situações. Essa é a proposta da obra.

 

Autor: de Giselda Laporta Nicolelis

Editora: Moderna

Páginas: 64

Preço: R$ 46

Estilo do Site
  • Luz
  • Alto Contraste