A ORIGEM DA FESTA JUNINA

Espaço infantil • 21/06/2018 06:02:00

. Foto: Cedida

5º ANO

As festas juninas têm sua origem pagã. Ainda na Idade Média, as celebrações anunciavam o solstício de verão e de inverno e homenageavam os deuses da natureza, fertilidade e das boas colheitas. A igreja católica acabou aderindo às festas atribuindo-lhes um caráter religioso, uma vez que não conseguia acabar com a sua popularidade. Em Portugal esta festa era conhecida com Festa Joanina, pois, este nome era para homenagear João Batista, primo de Jesus, que segundo as escrituras bíblicas, gostava de batizar as pessoas, purificando-as para a vinda de Jesus.

 

Origem no Brasil

No Brasil, as festas juninas foram introduzidas pelos portugueses após o ano de 1500, no período de colonização. Para os negros e índios, que já viviam no Brasil, esta festa não apresentou dificuldade para ser aceita, pois esta comemoração sofreu influencias da cultura indígena e africana. Ela recebeu o nome de “junina” porque acontece no mês de junho.

Aos poucos, as festas juninas foram sendo difundidas em todo o território brasileiro, mas foi na região nordeste que tornou-se a cultura mais forte. Com o passar dos tempos, as festas juninas ganharam outros símbolos característicos, ou seja, outros ritmos e bandas não tradicionais aos tipicamente vivenciados foram acrescentados às grades e programações de festas regionais, incentivando novos públicos. Como é realizada em um mês mais frio, fogueiras enormes passara, a ser acesas para que as pessoas se aquecessem ao redor delas. Muitas brincadeiras entraram para a festa e as comidas típicas tornaram-se presentes em razão das colheitas.

 

Comidas e bebidas

Os quitutes mais tradicionais da festa junina são pipoca, paçoca, pé-de-moleque, canjica, cachorro-quente, pamonha, curau, bolo de milho, arroz doce, pinhão, cuscuz e tapioca. Já as bebidas mais tradicionais são: vinho quente e quentão.

 

Danças

Nas festas juninas a quadrilha é, todavia, a dança típica. Sua origem foi pautada nas danças de salão francesas, onde os casais dançavam caracterizados com vestimentas típicas caipiras.

 

Balões

São tradicionais, embora nos dias atuais há restrições para soltá-los. A soltura de balões indica o início das comemorações.

 

Fogueira

A fogueira, de origem pagã, simboliza a proteção contra os maus espíritos. A tradição foi mantida pelos católicos para dedicar aos santos.

As festas juninas nas regiões norte, nordeste, sul, sudeste e centro-oeste apresentam características próprias.

No nordeste brasileiro, pequenas ou grandes festas há uma fartura de comida, quadrilhas, casamento matuto e muito forró. Na região sudeste, é tradicional a realização de quermesse com barraquinhas de comidas típicas, jogos para animar e apresentações de quadrilhas. No sul do Brasil, a dança comum nessa época é o fandango, que teve origem na Península Ibérica. Ela é uma dança tradicional para celebrar o sucesso da colheita. A coreografia se baseia no sapateado dos homens e no valseado dos casais. No centro-oeste, as festas juninas se misturam às tradições dos países da fronteira. É comum a Polca Paraguaia, dança típica da Argentina e Paraguai. Um dos pratos típicos é a “sopa paraguaia”, que na verdade é uma torta de farinha de milho com queijo e o segundo bastante comum é o arroz carreteiro. A música embalada pelo ritmo sertanejo. Na região norte do país, no lugar das quadrilhas, ouve-se a toada do boi-bumbá, tradição que começou ainda na época da colonização portuguesa e as iguarias para comemorar as festividades são bolo de macaxeira, cuscuz, mungunzá, vatapá, tacacá, pudim, churrasco e doces feitos à base de frutas da região amazônica.

(Fonte de pesquisa: Barros, Jussara de. “Origem da Festa Junina”, Brasil Escola; Livros Didáticos)

 

Alunos com 10 anos

Ano: 5º ano A, B, C, D e E

Professores responsáveis: Rosa Marina Somensi – 5º ano A/ Aparecida de Maria Saraiva Becegato – 5º ano B/ Lucimara Lima ada Silva Moraes – 5º ano C/ Juliana Pazote – 5º ano D/ Elaine Angélica Biscoola – 5º ano E

EM: Rui Carlos Vieira Berbert

 

 

1º ANO

DESENHO DE FESTA JUNINA

 

Analice da Silva Ferreira

Idade: 6 anos

Ano: 1° ano C

Professora: Kátia Sotoski Lopes Souza

EM: Rui Carlos Vieira Berbert

 

 

Sophya Nunes Inácio de Oliveira

Idade: 6 anos

Ano: 1º ano B

Professora: Neusa Campos  Maffei

EM: Rui Carlos Vieira Berbert

 

Isabella Costa de Andrade

Idade: 6 anos

Ano: 1º ano B

Professora: Neusa Campos Naffei

EM: Rui Carlos Vieira Berbert

 

2º ANO

 

Receita de Cajuzinho

Ingredientes

1 quilo de amendoim torrado e moído

1 lata de leite condensado

2 colheres (sopa), bem cheia, de chocolate em pó

1 colher (sopa) de margarina

1 xícara (chá) de açúcar (cristal)

 

Modo de fazer

Em um tigela, junte o amendoim, o chocolate em pó, a margarina e o leite condensado. Misture bem até dar o ponto e enrolar. Modele os cajuzinhos, coloque a metade de um amendoim na ponta e passa no açúcar cristal. Coloque em forminhas e sirva.

 

Rendimento: 20 docinhos

Alunos com 7 anos

Ano: 2º ano C

Professora: Maria Aparecida Pedro Ornellas

EM: Rui Carlos Vieira Berbert

 

 

3º ANO

CAÇA-PALAVRAS E CRUZADINHA

Alunos com 8 anos

Idade: 8 anos

Ano: 3º Ano A, B e E

Professores Responsáveis: Denise Botelho de Souza – 3º Ano A/ Michele Tabarini Antônio – 3º Ano B/Jorge José da Silva – 3ª Ano E

EM: Rui Carlos Vieira Berbert

 

              

3º ANO

HISTÓRIA EM QUADRINHOS

Aluna: Emmanuelly Valentinne Evangelista Silva

Idade: 8 anos

Ano: 3º ano C

Professora: Juliana Aparecida de Souza G. Bonfim

EM: Rui Carlos Vieira Berbert

 

4º ANO

VOCÊ SABIA QUE???

 

Idade: Alunos com 9 anos

Ano: 4º ano A, B e C

Professores responsáveis: Luciana Andréia Coutinho Orosco Plaça – 4º ano A/ Renata Moura Aguiar4º ano B/ Jefferson Pacífico dos Santos – 4º ano C

EM: Rui Carlos Vieira Berbert

 

Orientadores: Jackeline Ferreira Lima e Thais Viviane de Souza Peruchi

EM: Rui Carlos Vieira Berbert

 

Estilo do Site
  • Luz
  • Alto Contraste