"ENGOLE ESTA, PEDRO LUIS"

Charanga Domingueira • 12/03/2018 09:46:57

Estou me deliciando com a leitura do "O Livro de Jô", que conta as peripécias da vida do estupendo comediante que neste ano se torna um octogenário. Essa própria longevidade permite que Jô Soares tenha muito para contar não só pela sua brilhante atuação na vida artística brasileira, mas principalmente por ter uma memória maior que suas gorduras e recordar passagens significativas na sua visão de humorista. Na verdade Jô Soares é um gênio. O livro tem a colaboração do também brilhante jornalista Matinas Suzuki que é quem o assina, mas no seu todo o estilo é mesmo do humorista. Jô vivenciou tudo o que de mais importante se registrou do nascimento da tevê brasileira e seu caminhar até hoje. O livro é, pois, riquíssimo no seu todo como rica é a vida do autor, um bem nascido que teve oportunidade de estudar na Suiça, falar seis idiomas e tornar-se uma celebridade por méritos próprios. Existe um ponto que se torna perigoso nas biografias, mesmo que sejam autobiografias. É quando algo é narrado e que, por outro lado, pode ser contestado por quem está se deliciando com a leitura e crendo que tudo aconteceu como ali está contado. Refiro-me ao episódio em que Jô conta que Paulo Machado de Carvalho encontrou-se com o locutor Pedro Luis logo após a vitória do Brasil na Copa do Mundo do Chile e disse-lhe frente à frente: “Engole esta, Pedro Luiz”. O episódio realmente aconteceu, mas não da maneira como é narrado no livro. Nos velhos tempos os cronistas esportivos eram críticos e a função de um comentarista ou narrador não era apenas de relatar o espetáculo como na atualidade. Tanto Pedro Luis como Mário Moraes eram oposição ferrenha ao trabalho do dr. Paulo e do técnico Vicente Feola e tiveram mesmo que engolir seu triunfo . Mas, não como conta o livro. Após o jogo Brasil 3 Tchecoslováquia 1 o repórter Ethel Rodrigues fazia seu trabalho pela Rádio Bandeirantes no vestiário brasileiro e ao entrevistar o Marechal da Vitória foi que ouviu do mesmo, antes de qualquer outra consideração, as raivosas palavras “Engole esta Pedro Luis, engole esta, Mário Moraes.” A entrevista não teve continuidade e os atingidos, que comandavam a transmissão, não passaram recibo. Mas, o fato realmente registrou-se da maneira que narro o que em verdade ainda o torna mais expressivo. A forma como Jô Soares o narra não tira nenhum mérito da grandiosidade de seu livro. Mas, permite que você alimente a dúvida sobre outras passagens ali narradas de fatos históricos onde tem que confiar apenas na estupenda memória do autor. Que nesse caso foi diferente da realidade.

Estilo do Site
  • Luz
  • Alto Contraste